Mundial de Fórmula 1
Prob. Absoluta de Libertadores
Futebol Nacional
Campeonato Brasileiro - Série A
Campeonato Brasileiro - Série B
Futebol Internacional
Taça Libertadores
Liga dos Campeões
Copa Sul-Americana
Campeonato Alemão
Campeonato Espanhol
Campeonato Inglês
Campeonato Italiano
Futebol de Seleções
Eliminatórias - América do Sul
Eliminatórias - CONCACAF
Eliminatórias - Europa
Eliminatórias - Ásia
Eliminatórias - África
Eliminatórias - Oceania
Eliminatórias - Repescagens
Rankings Chance de Gol
Ranking de Seleções
Ranking Mundial de Clubes
Ranking de Clubes Brasileiros
Como Funciona
Entenda os Cálculos
Curso Rápido - Parte I
Curso Rápido - Parte II
Estatísticas e Medidas
Cursos e Palestras
Mais Sobre o Chance de Gol
Placar Chance de Gol
Campeonatos Passados
Chance de Gol no Facebook
Chance de Gol no Twitter
Chance de Gol no Youtube
Rádio Chance de Gol
Fale Conosco
O Autor
Quem Sou Eu
Colunas No Ângulo
Acertando as Contas
Artigo - Medalhas de 2012
Artigo - Copas em 2013
Artigo - 1000 jogos da Seleção
Artigo - Gigantes rebaixados
Artigo - Proposta de calendário
Artigo - Sugestão de Copa do Mundo
Outros - Ranking matemático
Outros - Ranking da Fórmula 1
Outros - Ranking de torcidas
Outros - Seleções históricas
Links
Sites Parceiros
Futebol ao Vivo
        
  

Olhando com lente de aumento os "1000 jogos da Seleção Brasileira"
(artigo publicado em 19/11/2012)


Na semana passada, o estádio MetLife, em New Jersey (EUA), abrigou um amistoso Brasil x Colômbia celebrado pela CBF como sendo o milésimo jogo da Seleção Brasileira. Como a CBF divulgou essa celebração mas até o presente momento não tornou pública a sua lista de jogos, com os 999 identificados e numerados, muita gente se pôs a teorizar, especular e palpitar acerca de quais teriam sido critérios utilizados e os jogos considerados válidos pela entidade máxima do futebol nacional. E aí surgem as mais diversas teses e argumentações, nem sempre concordantes entre si ou internamente consistentes.

Nos dias que antecederam esse jogo, o meu trabalho como pesquisador da Seleção foi citado em alguns locais e, em razão desse trabalho, eu fui procurado por alguns repórteres mas infelizmente não tive tempo para abordar esse tema mais a fundo. Agora, uma semana depois (antes tarde do que nunca), dedico alguns minutos a tentar elucidar essa questão.

Antes de mais nada, para começarmos a desembaraçar o nó, é fundamental estabelecer e firmar alguns conceitos:

    -Jogo oficial: jogo disputado pela Seleção Brasileira contra a seleção nacional de outro país ou contra a Seleção da FIFA*.
    -Jogo não-oficial: jogo disputado pela Seleção Brasileira contra clubes, combinados, seleções regionais etc.

* A confusão já começa aqui: durante décadas a FIFA considerava os jogos da sua seleção como oficiais mas, na virada do século XX para o XXI, esses jogos passaram a ser tratados pela entidade máxima do planeta como não-oficiais. Conseqüentemente, o jogo, Brasil x Seleção da FIFA, disputado em 1968, para muitos pesquisadores é contabilizado como oficial e para muitos outros pesquisadores é contabilizado como não-oficial...(em tempo: essa ambigüidade vale somente para jogos da seleção oficial da FIFA; jogos contra "combinados do Resto do Mundo" são unanimemente considerados não-oficiais.)

É importante esclarecer, então, que a CBF nunca disse ter sido o amistoso contra a Colômbia o milésimo jogo oficial da Seleção Brasileira, mas sim o milésimo jogo disputado pela Seleção Brasileira principal, incluindo aí aqueles classificados como não-oficiais.

Além disso, deve-se frisar, também, que essa totalização se refere somente a jogos da Seleção Brasileira Principal. Essa observação é importante porque algumas pessoas podem se lembrar de uma edição especial da revista Placar lançada no início de 2000, comemorando justamente o milésimo jogo da Seleção Brasileira! Contudo, aquela edição, baseada nos polêmicos arquivos do falecido pesquisador Duílio Martino, incluía em sua listagem jogos da Seleção Olímpica e dos Jogos Pan-Americanos. Os 1000 jogos atualmente comemorados pela CBF, por outro lado, se referem unicamente à Seleção Brasileira Principal, isto é, esse total não inclui os jogos (oficiais ou não) disputados pela Seleção Olímpica, pelos Jogos Pan-Americanos, pelas seleções sub-xx etc.

Isto posto, a tarefa passa a ser descobrir quais os 1000 jogos da Seleção Brasileira Principal que a CBF considera em sua estatística e, tão importante quanto, qual o critério utilizado pela entidade, isto é, quais os jogos que a CBF não considera e por que eles não são considerados:

No site RSSSF Brasil (seção brasileira do grupo internacional de pesquisadores de futebol RSSSF), disponibilizo o resultado de um trabalho que desenvolvo há 13 anos e segundo o qual o jogo contra a Colômbia foi o 1013º da história da Seleção. As relações completas de jogos oficiais e não-oficiais podem ser consultadas nas seguintes páginas:
- http://www.rsssfbrasil.com/sel/brazila.htm
- http://www.rsssfbrasil.com/sel/brazilaunof.htm

Essas relações, porém, estão longe de ser pacíficas e unânimes, pois na história quase centenária da Seleção Brasileira, há diversos jogos passíveis de serem contestados pelos mais diversos motivos. Assim, dissecando detalhadamente esses 1013 jogos, encontramos:
(em tempo: não há nenhum jogo "chutado" nessa lista; todos os jogos listados e abaixo discriminados são mencionados em pelo menos dois dos principais livros existentes sobre a Seleção Brasileira)

    - 867 jogos oficiais de caráter indiscutível e unânime;
    - 114 jogos não-oficiais de caráter indiscutível e unânime;
    - 12 jogos oficiais contabilizados como sendo da Seleção Brasileira principal mas que pode-se argumentar terem sido da Seleção Brasileira olímpica (a maioria de 1996, quando o técnico Zagallo acumulou os comandos das seleções principal e olímpica e, para alguns compromissos daquele ano, realizou convocações "híbridas");
    - 7 jogos contabilizados como oficiais mas que se pode argumentar terem sido não-oficiais (o amistoso contra a Seleção da FIFA já citado anteriormente e 6 outros jogos em que se pode argumentar que o adversário não seria a seleção oficial principal do país adversário);
    - 4 jogos (1 oficial e 3 não-oficiais) com características que permitem argumentar terem sido jogos-treino (ausência de camisas oficiais, duração diferente de 45x45 minutos, menos de 11 jogadores por time etc.) e não jogos "de verdade";
    - 3 jogos não considerados como oficiais pela federação do país adversário e que, portanto, pode-se argumentar serem contabilizados como não-oficiais;
    - 3 jogos válidos pela Copa Superclásico de las Américas, competição com características restritivas (pois só podem ser convocados jogadores que atuam no Brasil) e a respeito dos quais a CBF até hoje não deixou totalmente clara a sua posição;
    - 3 jogos (1 oficial e 2 não-oficiais) sobre os quais pode-se argumentar não ter sido a Seleção Brasileira oficial mas uma "Seleção Brasileira B" (coisa comum na Europa mas que nunca existiu por aqui) ou mesmo um Combinado Brasileiro não-oficial.

Assim, há 991 jogos (os indicados com números em vermelho) que, embora nem todos oficiais, certamente fazem parte da lista da CBF e de qualquer pesquisador do assunto. Por outro lado, há ainda 2 amistosos de 1996 usualmente contabilizados como sendo da Seleção Olímpica mas que há fontes que os incluem entre os jogos da Seleção Principal (outra daquelas "convocações híbridas" do Zagallo). Em tese, portanto, qualquer número de 991 a 1015 poderia ser válido para o total de jogos realizados pela Seleção, dependendo do critério do freguês.

No que se refere especificamente aos 1000 jogos considerados pela CBF (ou à identificação dos 9 que a entidade acrescenta àqueles 991 inquestionáveis), há poucas pistas para descobri-los. As únicas palavras oficiais da CBF a que se tem acesso fora dos corredores da entidade são o seu livro oficial (publicado em 2004, com uma 2ª edição em 2006) e alguns números avulsos divulgados no seu site oficial e na transmissão de Brasil x Colômbia pela Rede Globo:

    1 - Brasil 2x0 Exeter City (amistoso, 21/07/1914) [C] [G] (nº 1 na lista da RSSSF)
    20 - Brasil 1x0 Uruguai (Campeonato Sul-Americano, 29/05/1919) [C] (nº 20 na lista da RSSSF)
    32 - Brasil 3x0 Paraguai (Campeonato Sul-Americano, 22/10/1922) [C] (nº 34 na lista da RSSSF)
    231 - Brasil 5x2 Suécia (Copa do Mundo, 29/06/1958) [C] [G] (nº 232 na lista da RSSSF)
    281 - Brasil 3x1 Tchecoslováquia (Copa do Mundo, 17/06/1962) [C] [G] (nº 282 na lista da RSSSF)
    395 - Brasil 4x1 Itália (Copa do Mundo, 21/06/1970) [G] (nº 397 na lista da RSSSF)
    706 - Brasil 3x2 Holanda (Copa do Mundo, 09/07/1994) [G] (nº 710 na lista da RSSSF)
    708 - Brasil 0x0 Itália (Copa do Mundo, 17/07/1994) [G] (nº 712 na lista da RSSSF)
    762 - Brasil 6x0 Austrália (Copa das Confederações, 21/12/1997) [C] (nº 770 na lista da RSSSF)
    850 - Brasil 2x0 Alemanha (Copa do Mundo, 30/06/2002) [G] (nº 858 na lista da RSSSF)
    1000 - Brasil 1x1 Colômbia (amistoso, 14/11/2012) [C] [G] (nº 1013 na lista da RSSSF)
(obs: [C] = jogos cujos números foram informados no site da CBF ; [G] = jogos cujos números foram informados na transmissão da Globo)

Presumindo que esses números estejam corretos (o que não se pode assegurar, pois a transmissão da Globo identificou o Brasil x Tchecoslováquia de 1962 ora como nº 280, ora como nº 281), há ainda outro porém a ser considerado: houve dois jogos da Seleção Brasileira no dia 22/10/1922: um contra o Paraguai, no Rio de Janeiro, válido pela decisão do Campeonato Sul-Americano, e outro contra a Argentina, em São Paulo, válido pela Copa Roca daquele ano (a Copa Roca já estava marcada quando o Sul-Americano terminou inesperadamente empatado e obrigou Paraguai e Brasil a disputarem um jogo extra naquela mesma data). Esses jogos têm os números 33 e 34 na lista da RSSSF mas não sabemos se a CBF os lista como 31 e 32 ou 32 e 33! Feitas essas observações, uma comparação entre os números informados pela CBF e a lista da RSSSF permite deduzir que a CBF não considera:

    a) 1 jogo entre 1919 e 1922
    b) 1 jogo entre 1962 e 1970
    c) 2 jogos entre 1970 e 1994
    d) 4 jogos entre 1994 e 1997
    e) 5 jogos entre 2002 e 2012

Isso sob a hipótese de a CBF considerar os dois jogos de 22/10/1922 como 32 e 33. Caso contrário, se a CBF os considerasse como 31 e 32, chegaríamos à (estranhíssima) dedução de que a CBF excluiu de sua lista 2 jogos entre 1919 a 1922 e acrescentou um entre 1922 e 1958!

Pois bem, seguindo esse raciocínio e comparando-se a lista da RSSSF com o livro da CBF, pode-se identificar 12 dos 13 jogos que supostamente a CBF não considera em sua contagem:

    a) Brasil 1x3 Argentina (06/10/1920)
    c) Brasil 2x1 Combinado de Estrangeiros (19/12/1973) e Brasil 4x1 Internacional-RS (19/12/1976)
    d) Os quatro jogos da Copa Ouro da CONCACAF de 1996
    e) Os cinco jogos da Copa Ouro da CONCACAF de 2003

Falta, porém, localizar o jogo supostamente desconsiderado entre 1962 e 1970 (item b), pois todos os jogos desse período constantes da lista da RSSSF também são mencionados no livro da CBF. Além disso, duas observações importantes merecem ser feitas a respeito dessas inferências:

I - Essa inferência é conseqüência de premissas (a correção dos números informados pela CBF e pela Globo, a forma como a CBF numera os jogos de 22/10/1922 e a presunção de que a CBF seja coerente em seus critérios) que não são mais do que meras suposições, sem nada de concreto que as embase.
II - As razões para que a CBF não contabilize os doze jogos supracitados são mencionadas nas respectivas fichas na RSSSF. Com relação especificamente aos jogos das Copas Ouro da CONCACAF de 1996 e 2003, cabe citar que a CBF os considera como tendo sido disputados pela Seleção Brasileira Olímpica, embora se tratasse de um torneio internacional oficial no qual o time olímpico estava representando oficialmente a Seleção Brasileira principal. É assim que a FIFA considera esses jogos e é um erro da CBF não os contabilizar nas estatísticas da Seleção Principal.

Isso é tudo o que se pode inferir a partir das informações oficiais da CBF. Espero que essa análise seja útil aos pesquisadores mas estou certo de que só saberemos ao certo o que pensa a CBF quando a sua lista de 1000 jogos for tornada pública.


Texto acrescentado em 18/01/2013

Poucos dias atrás, tomei conhecimento de um artigo publicado no site da revista Placar, segundo o qual, nas 999 partidas anteriores ao amistoso Brasil x Colômbia, a Seleção somou 640 vitórias, 206 empates e 153 derrotas. Essa é uma informação que pode ser muito útil no auxílio da detecção do último jogo excluído (aquele disputado entre 1962 e 1970, citado no item b mais acima).

Existe, todavia, uma outra questáo polëmica que deve ser abordada antes de basearmos alguma análise nesses números: eu costumo definir um jogo como vitória, empate ou derrota com base no resultado do tempo regulamentar (90 minutos), enquanto a imprensa usualmente considera o resultado "completo", isto é, somando também os gols marcados na prorrogação. Isso faz com que haja quatro possíveis discordâncias entre as contabilizações da CBF e da minha listagem na RSSSF:

    29/05/1919 - Brasil x Uruguai (0x0 no tempo regulamentar, 0x0 na 1ª prorrogação e 1x0 na 2ª prorrogação): contabilizado como empate pelos meus critérios e como vitória do Brasil pelos critérios da imprensa;
    01/02/1937 - Brasil x Argentina (0x0 no tempo regulamentar, 0x2 na prorrogação): empate no meu critério, derrota para a imprensa;
    05/06/1938 - Brasil x Polônia (4x4 no tempo regulamentar, 2x1 na prorrogação): empate no meu critério, vitória para a imprensa;
    18/09/1957 - Brasil x Chile (1x0 no tempo regulamentar, 0x1 na prorrogação): vitória no meu critério, empate para a imprensa.
Logo, os 1000 jogos anteriores ao da Colômbia (isto é, os 1012 listados na RSSSF menos os 12 mencionados nos itens a, c, d e e mais acima) somam:
    Vitórias: 639 (meu critério) ou 640 (imprensa);
    Empates: 209 (meu critério) ou 207 (imprensa);
    Derrotas: 152 (meu critério) ou 153 (imprensa);

Como os números mencionados pela Placar são 640 vitórias, 206 empates e 153 derrotas, podemos deduzir que a CBF também utiliza o "critério da imprensa".
Portanto, assumindo novamente que as premissas mencionadas mais acima (a correção dos números informados pela CBF e pela Globo, a forma como a CBF numera os jogos de 22/10/1922 e a presunção de que a CBF seja coerente em seus critérios) sejam verdadeiras e também que os números divulgados pela Placar estejam corretos, podemos concluir o jogo não considerado correspondente ao item b, disputado entre as finais das Copas do Mundo de 1962 e 1970, é um empate.

Verificando nas listas da RSSSF Brasil os jogos disputados nesse período, que terminaram empatados e têm razões para sua contabilização ser questionada, podemos inferir que o "jogo faltante" é o amistoso Brasil 1x1 Bangu, disputado em 14/03/1970 e, com isso, agora temos completa a lista dos jogos que a CBF não contabiliza em sua estatística:

    a) Brasil 1x3 Argentina (06/10/1920)
    b) Brasil 1x1 Bangu (14/03/1970)
    c) Brasil 2x1 Combinado de Estrangeiros (19/12/1973) e Brasil 4x1 Internacional-RS (19/12/1976)
    d) Os quatro jogos da Copa Ouro da CONCACAF de 1996
    e) Os cinco jogos da Copa Ouro da CONCACAF de 2003

Não se pode esquecer, porém, que essas conclusões dependem diretamente de que diversas premissas (elencadas repetidas vezes ao longo desse artigo) sejam verdadeiras e que a confirmação dessa lista de jogos excluídos pela CBF só acontecerá quando a própria entidade divulgar seus critérios e suas estatísticas.


Texto acrescentado em 11/08/2013

Nesta semana, tomei contato com o pesquisador Paulo Freitas, que apontou mais algumas informações divulgadas pela CBF por ocasião do suposto milésimo jogo da Seleção, contra a Colômbia. A lista abaixo está atualizada, com as novas informações destacadas em itálico sublinhado:

    1 - Brasil 2x0 Exeter City (amistoso, 21/07/1914) [C] [G] (nº 1 na lista da RSSSF)
    10 - Brasil 1x1 Sportivo Barracas (amistoso, 06/05/1917) [C] (nº 10 na lista da RSSSF)
    20 - Brasil 1x0 Uruguai (Campeonato Sul-Americano, 29/05/1919) [C] (nº 20 na lista da RSSSF)
    32 - Brasil 3x0 Paraguai (Campeonato Sul-Americano, 22/10/1922) [C] (nº 34 na lista da RSSSF)
    231 - Brasil 5x2 Suécia (Copa do Mundo, 29/06/1958) [C] [G] (nº 232 na lista da RSSSF)
    281 - Brasil 3x1 Tchecoslováquia (Copa do Mundo, 17/06/1962) [C] [G] (nº 282 na lista da RSSSF)
    395 - Brasil 4x1 Itália (Copa do Mundo, 21/06/1970) [C] [G] (nº 397 na lista da RSSSF)
    706 - Brasil 3x2 Holanda (Copa do Mundo, 09/07/1994) [C] [G] (nº 710 na lista da RSSSF)
    708 - Brasil 0x0 Itália (Copa do Mundo, 17/07/1994) [C] [G] (nº 712 na lista da RSSSF)
    762 - Brasil 6x0 Austrália (Copa das Confederações, 21/12/1997) [C] (nº 770 na lista da RSSSF)
    850 - Brasil 2x0 Alemanha (Copa do Mundo, 30/06/2002) [C] [G] (nº 858 na lista da RSSSF)
    1000 - Brasil 1x1 Colômbia (amistoso, 14/11/2012) [C] [G] (nº 1013 na lista da RSSSF)
([C] = jogos cujos números foram informados no site da CBF ; [G] = jogos cujos números foram informados na transmissão da Globo)

Evidentemente, toda informação é útil. Contudo, o único dado novo fornecido pelo Paulo Freitas é o número (10) do amistoso contra o Sportivo Barracas, o que infelizmente é insuficiente para se chegar a mais conclusões do que aquelas às quais eu já havia chegado anteriormente. Permanecem válidas, então, as deduções (bem como as ressalvas acerca das premissas utilizadas no raciocínio) que fiz nos textos anteriores.

Permanece válida, também, a expectativa de que um dia a CBF divulgue sua lista completa e dirima quaisquer dúvidas ainda existentes sobre o assunto.


Outros artigos:
- Análise do Quadro de Medalhas das Olimpíadas 2012
- Como funcionarão as Copas do Brasil, Libertadores e Sul-Americana a partir de 2013
- Os gigantes que já caíram
- Uma proposta para o calendário do futebol brasileiro em 2014
- Uma sugestão de reformulação da Copa do Mundo






Voltar para o Início
  







Design by alexveiga.com